voltar ao início
Arquivo & Biblioteca

Cronologia


[registo específico]
Segunda-feira, 30 de Abril de 1900Criado o Bloco Republicano em França

00023

010102
É criado em França um bloco republicano em torno da defesa de Dreyfus. Em 1894, Alfredo Dreyfus (9 de Outubro de 1859 - 12 de Julho de 1935), oficial do exército francês a exercer funções no Estado-Maior, é preso sob a acusação de ter vendido segredos militares à Alemanha, que constariam de um memorando apreendido pela contra-espionagem militar francesa. Dreyfus, de origem judaica, é condenado, desautorado em público e deportado para a Guiana, continuando sempre a afirmar a sua inocência. A acusação, infundadada, assentara na suposição de que a letra constante no documento era precisamente a de Dreyfus. Dois anos volvidos sobre a acusação, começam a desenhar-se provas irrefutáveis da inocência de Dreyfus, em especial através da existência de um documento entrado no Ministério da Guerra e que este persiste em esconder. Tal documento tinha aposta a assinatura do major Esterházi, igual à que tinha sido atribuída a Dreyfus. Em 1898, o coronel Henry, que exercera actividades de espionagem para o Ministério da Guerra, confessa ter sido o autor da falsificação da letra de Dreyfus e suicida-se. Ainda assim, o governo e as forças armadas insistem em não ilibar Dreyfus, cujo caso é uma bandeira do anti-semitismo e dos movimentos márquicos e clericais. Pelo contrário, em sua defesa movem-se as correntes progressistas, sendo célebre a tomada de posição pública de Émile Zola (designadamente, com o seu libelo "J’Accuse...!", carta aberta ao Presidente da República Francesa, publicada no jornal "L’Aurore" de 13 de Janeiro de 1898). O debate ganha toda a sociedade francesa, dividindo-a profundamente. O Conselho de Guerra volta a condenar Dreyfus, embora de seguida o Presidente da República o amnistie. Regressado do degredo, Dreyfus e Zola continuam a lutar pela sua inteira reabilitação, que só ocorrerá em 1906.

ano: 1900 | tema: Vida Política
palavras-chave: Dreyfus Zola 

voltar



Fundação Mário Soares
Rua de S. Bento, 176 - 1200-821 Lisboa, Portugal
Telefones: (+ 351) 21 396 41 79 | (+ 351) 21 396 41 85 | Fax: (+ 351) 21 396 4156
fms@fmsoares.pt | arquivo@fmsoares.pt | direccao.casa-museu@fmsoares.pt