voltar ao início
Arquivo & Biblioteca

Cronologia


[registo específico]
Domingo, 17 de Fevereiro de 1901Caso Calmon

00080


"Caso Calmon". Pelas onze horas da manhã, à saída da missa na igreja da Trindade, no Porto, o Dr. José Calmon, Cônsul do Brasil, grita que lhe querem raptar a filha Rosa (que pretendera recolher a um convento). Esse episódio originou acesa polémica na imprensa da época, originando manifestações anti-clericais, que denunciavam a influência perniciosa e dissimulada de elementos jesuítas, que teriam tentado forçar a jovem a recolher a um estabelecimento religioso, ao mesmo tempo que o pai, opondo-se, intentava interditá-la judicialmente. Face às proporções que o caso assumiu, o Cônsul acabou por abandonar a cidade do Porto, acompanhado de toda a família.

ano: 1901 | tema: Religiões
palavras-chave: Anti-clericalismo Caso Calmon 

voltar



Fundação Mário Soares
Rua de S. Bento, 176 - 1200-821 Lisboa, Portugal
Telefones: (+ 351) 21 396 41 79 | (+ 351) 21 396 41 85 | Fax: (+ 351) 21 396 4156
fms@fmsoares.pt | arquivo@fmsoares.pt | direccao.casa-museu@fmsoares.pt