voltar ao início
Arquivo & Biblioteca

Cronologia


[registo específico]
Segunda-feira, 24 de Junho de 1901Pablo Picasso inaugura a sua primeira exposição

00101

010203
Pablo Ruíz Picasso inaugura a sua primeira exposição no Salão Vollard, em Paris. Nascido em Málaga a 25 de Outubro de 1881, o pintor espanhol morreu a 8 de Abril de 1973, com 91 anos, em Mougins, França. Filho de um professor de desenho, Picasso começou desde cedo a demonstrar as suas qualidades para a pintura. Em 1895, foi viver com a sua família para Barcelona onde ingressou, com 14 anos de idade, na Escola de Belas-Artes. No Inverno de 1896, inscreveu-se na Academia Real de San Fernando, em Madrid, de onde saíu em 1897, tornando-se artista independente. Entre 1900 e 1904 realizou viagens a Paris e Madrid, tendo convivido com a chamada "Geração de 98" durante as suas pequenas permanências na capital espanhola. Em 1901 assume a direcção artística da revista "Arte Jovem", em colaboração com Pio Baroja, Verdaguer e Guerra Junqueiro. Nesse mesmo ano, inaugurou a sua primeira exposição em Paris, onde fixa definitivamente residência a partir de 1904. O seu pioneirismo na criação de um novo movimento na arte moderna, o chamado "cubismo", juntamente com Georges Braque, a introdução das "colagens" como técnica artística (em que utilizava recortes de papel, materiais plásticos, areia, etc.) e a mistura de vários materiais na construção das suas esculturas, tornaram Picasso uma referência do experimentalismo artístico, a que a sua vasta cultura e as influências clássicas e do impressionismo fizeram dele uma das maiores referências artísticas do século XX. Sublinham-se também as suas inúmeras fases criativas ("período azul" 1901-1903, "período rosa" 1904-1905, "período clássico" 1905, "período Ibérico" 1906, "período africano" 1907, "cubismo" 1908-1916, cuja obra mais significativa é "Les Demoiselles d’Avignon" e o regresso ao "período clássico" 1917-1940 de que "Guernica" é um exemplo). As mulheres tiveram um papel importante na vida e obra de Pablo Picasso, desenhando-as com profusão. A sua primeira companheira foi Fernande Olivier, cuja relação durou entre 1904 e 1911 e que, em 1934, publicou "Picasso et ses amis". No ano de 1911, Picasso conhece Eva Gouel com quem viveu até 1915, data em que Eva morre. Em 1918, casa-se com Olga Kakhlova, uma bailarina russa que fazia parte do grupo de bailado de Diaghileff e mãe do seu primeiro filho, Pablo (4 de Fevereiro de 1921), de quem veio a separar-se em 1935. A 5 de Outubro, desse mesmo ano, nasce a sua primeira filha, Marie de la Concepcion (Maya), fruto da sua relação (existente desde 1927) com Marie-Thérèse Walter. Em 1936 foi apresentado a Dora Maar com quem veio a viver até 1943, data em que conheceu, Françoise Gilot, mãe de mais dois dos seus filhos, Claude (15 de Maio de 1947) e Paloma (19 de Abril de 1949) e de quem se separou em 1953. Picasso casa, pela segunda vez, em 1961, com Françoise Gillot, sua última companheira e com quem vivia desde 1954. Nomeado Director do Museu do Prado em 1936, em plena Guerra de Espanha, Picasso opõe-se decididamente ao avanço dos fascistas da Falange. É autor de diversos cartazes políticas em defesa da República Espanhola, sátiras como "Songe et mensonge de Franco", ao mesmo tempo que dirige a evacuação das obras de arte do Museu do Prado, sujeito a incessantes bombardeamentos pelas tropas de Franco. A 26 de Abril de 1937, os alemães bombardearam a cidade basca de Guernica e a 12 de Julho Picasso expõe o seu quadro com o mesmo nome, "Guernica", no pavilhão espanhol da Exposição Universal de Paris. Exilado em França após a vitória franquista, Picasso sempre recusou regressar enquanto o ditador estivesse no poder. Em 1944, aderiu ao Partido Comunista francês, desenvolvendo actividades na Resistência. Depois da guerra participa em numerosas actividades políticas e cívicas, desenhando o símbolo das campanhas pela Paz. Afastou-se gradualmente da política oficial do PCF, em especial após a intervenção soviética na Hungria, em 1956. Manteve sempre uma inequívoca posição anti-fascista.

ano: 1901 | tema: Cultura
palavras-chave: Picasso Pintura Exposição 

voltar



Fundação Mário Soares
Rua de S. Bento, 176 - 1200-821 Lisboa, Portugal
Telefones: (+ 351) 21 396 41 79 | (+ 351) 21 396 41 85 | Fax: (+ 351) 21 396 4156
fms@fmsoares.pt | arquivo@fmsoares.pt | direccao.casa-museu@fmsoares.pt