voltar ao início
Arquivo & Biblioteca

Cronologia


[registo específico]
Março de 1907Estala a greve académica de Coimbra, que alastra a todo o país

00431

010203
É reprovado em Coimbra o candidato a Doutor José Eugénio Dias Ferreira, originando protestos da Academia, sendo vaiados os lentes do júri de doutoramento e apedrejadas as suas casas. A greve universitária é decretada em Março, radicalizando-se designadamente em reacção aos ataques que lhe são desferidos por João Franco e, também, pela influência dos ideais republicanos entre os estudantes. O governo encerra a Universidade e declara responsáveis "pela desordem académica" os estudantes republicanos. A Comissão Central Académica dirige protestos a todas as entidades e organiza delegações que se deslocam a Lisboa. No Parlamento, o deputado republicano António José de Almeida solidariza-se com a greve, declarando que a mocidade era a «pátria de amanhã». A imprensa republicana explora a situação, atacando violentamente João Franco: no jornal "A Luta", Brito Camacho escreve que neste conflito se joga «o destino da pátria». Entretanto, o Conselho de Decanos da Universidade expulsa três estudantes por dois anos e quatro por um ano. Esta medida faz alastrar a greve ao ensino secundário de Lisboa, Coimbra e Porto, ao mesmo tempo que Bernardino Machado, respeitado professor de Faculdade de Filosofia e republicano desde 1903, ameaça demitir-se se os estudantes expulsos não fossem reintegrados – João Franco tenta processar Bernardino Machado, acusando-o de "díscolo". Bernardino Machado apresenta, de facto, a sua demissão. A duração da greve e as suas implicações dividem os estudantes. A 23 de Maio, o Governo reabre a Universidade para exames. Dos 1049 estudantes, requerem exame 866, mas um decreto vem a permitir a passagem de ano dos restantes.

ano: 1907 | tema: Lutas Estudantis
palavras-chave: Greve Coimbra João Franco Bernardino Machado António José de Almeida 

voltar



Fundação Mário Soares
Rua de S. Bento, 176 - 1200-821 Lisboa, Portugal
Telefones: (+ 351) 21 396 41 79 | (+ 351) 21 396 41 85 | Fax: (+ 351) 21 396 4156
fms@fmsoares.pt | arquivo@fmsoares.pt | direccao.casa-museu@fmsoares.pt