voltar ao início
Arquivo & Biblioteca

Cronologia


[registo específico]
Sábado, 14 de Dezembro de 1918Morte de Sidónio Pais

039690


Assassinato do Presidente Sidónio Pais, na estação do Rossio em Lisboa. Sidónio Pais é morto a tiro por José Júlio da Costa, na estação do Rossio em Lisboa. O Presidente da República partira de Belém para o Rossio onde apanharia o comboio para o Porto, em princípio para conferenciar com a Junta Militar do Norte. Acompanhava-o o seu irmão e o seu filho, sendo recebido na estação pela Guarda Republicana, tocando o hino, e por populares. Do meio deles, José Júlio da Costa dispara. É grande a agitação, a correria e o pânico. No tiroteio que se segue, caem inocentes. José Júlio da Costa, ao contrário dos regicidas, não morre no local. Seria conduzido para a Escola de Guerra e mais tarde para o Governo Civil. Sidónio Pais caíra mas ainda não morrera. A imaginação febril do Repórter X (Reinaldo Ferreira) pôs-lhe na boca as palavras "Morro bem! Salvem a Pátria!" O Presidente da República morreria, antes da meia noite, a caminho do Hospital de S. José.

ano: 1918 | tema: Violência (política)
palavras-chave: Sidónio Pais Atentado 

voltar



Fundação Mário Soares
Rua de S. Bento, 176 - 1200-821 Lisboa, Portugal
Telefones: (+ 351) 21 396 41 79 | (+ 351) 21 396 41 85 | Fax: (+ 351) 21 396 4156
fms@fmsoares.pt | arquivo@fmsoares.pt | direccao.casa-museu@fmsoares.pt